Nos dias 5 a 15 de janeiro de 2018, as convenções batistas Brasileira, Fluminense e Carioca estarão unidas no propósito de evangelizar o estado do Rio de Janeiro. O Pés no Arado, como é conhecido o projeto missionário da Juventude Batista Brasileira (JBB), vem para compartilhar esperança a moradores cansados da violência e da falta de perspectiva.

Nesse ano, numa das pontas do Pés no Arado está o departamento de missões urbanas da Convenção Batista Carioca (Missões Rio). O pastor Ulisses Torres, coordenador de Missões Rio, responde a questões importantes sobre a unidade denominacional em torno deste projeto, bem como explica os detalhes da participação dos cariocas nessa mobilização que vem marcar o início do próximo ano.

O que motivou a parceria com a JBB na realização do Pés no Arado?
Pr. Ulisses: Há muitos anos, eu e a irmã Gilciane começamos nossa caminhada em organizações denominacionais, no mesmo período. Ela era executiva da Juberj e eu secretário da JBC. Desde então, nossas vidas e nossas famílias têm se cruzado na caminhada de buscar envisionar adolescentes e jovens a terem uma vida dedicada a Jesus. Quando a irmã Gil informou que estava encerrando o ciclo na JBB, avisei-a que também estava encerrando o ciclo como líder de Missões Rio. E foi uma grande oportunidade de fecharmos esse ciclo em conjunto, fazendo o que mais amamos: levar adolescentes e jovens a uma experiência missionária profunda com Cristo. Missões precisa ser um estilo de vida!

Qual será a contribuição de Missões Rio em todo o projeto?
Pr. Ulisses: Enquanto CBC, Missões Rio assumiu toda a articulação administrativa e logística do evento. Toda a parte de comunicação com todos os envolvidos, a gestão dos recursos e orientação na forma de abordagem na cidade. A Convenção Batista Fluminense (CBF) também foi convidada a participar conosco, já que o Estado do Rio de Janeiro precisa de uma intervenção divina, e não só a capital.

Quais serão as bases de atuação de Missões Rio e como elas foram escolhidas?
Pr. Ulisses: Na última assembleia da Convenção Batista Carioca, informamos as igrejas sobre a possibilidade de receber o projeto. Explicamos quais seriam as funções de cada parte envolvida e abrimos a possiblidade das igrejas se cadastrarem. Caso a igreja que se cadastrou concorde e atenda as demandas, assinamos um compromisso e começamos os trabalhos.
Bases de trabalho no RJ:

– PIB Viva – congregação de Bento Ribeiro
– CB Vida – congregação no Morro da Providência
– IB Jardim Arimateia – Morro da Mangueira
– IB do Sampaio
– IBM do Mallet

“Dezenas de pessoas são alcançadas e
discipuladas por dias através dos projetos
da CBC”

Quais os benefícios deste tipo de projeto para as igrejas locais e para o voluntário?
Pr. Ulisses: O voluntário é abençoado na sua formação missionária. Em uma experiência prática, ele é preparado para abordar com o evangelho e consolidar com o discipulado. Quando esse voluntário volta para a igreja, uma parte da sua formação cristã recebe grande conteúdo.

As inscrições já foram encerradas, mas ainda existe alguma possibilidade de participação para os que não conseguiram se inscrever?
Pr. Ulisses: Não existe.

Esperança tem sido o foco de Missões Rio durante os últimos dois anos e agora esse termo vem como ênfase do Pés no Arado 2018. Como você analisa o papel dos batistas com relação a esta missão, de levar esperança aos cariocas?
Pr. Ulisses: Os batistas têm uma obra missionária consolidada e em expansão na cidade do Rio de Janeiro. São cerca de 54 projetos, 21 missionários e mais de 180 voluntários atuando em diversas áreas na cidade. Dezenas de pessoas são alcançadas e discipuladas por dias através dos projetos da CBC. Realmente vivemos um tempo difícil da cidade, mas será que não é para isso que Deus nos permitiu continuar existindo?

O próximo projeto evangelístico de Missões Rio, o Impacto de Carnaval, já está bem próximo. O que podemos esperar como diferencial para 2018?
Pr. Ulisses: Também fizemos uma parceria com a CBF, e esse ano teremos nove bases de trabalho. Todas em igrejas locais, perto de espaços onde ocorrem festas de rua. Além disso, teremos uma base voltada só para oração, que ficará orando de 00h do dia 10 até as 10h do dia 13 de fevereiro de 2018. Continuaremos fazendo uma vigília na primeira noite e encerrando com um evangelismo na Av. Presidente Vargas, ao lado do Sambódromo.

Alguns criticam projetos como o Pés no Arado e o Impacto de Carnaval, afirmando que não há planejamento para os convertidos. O que você diria sobre essa questão?
Pr. Ulisses: Que todo crente deveria ir uma vez na vida em um evento desse. Vendo pessoas nesses lugares se rendendo a Jesus, superamos quaisquer críticas que possam fazer a esses projetos.

 

Inscreva-se para o Impacto de Carnaval 2018 em www.impactodecarnaval.com.br

Share This