Apesar das dificuldades no trabalho de socioeducação, que vão desde os problemas internos em cada unidade à insuficiente adesão de voluntários e apoio de igrejas, o trabalho segue alcançando vidas de adolescentes em situação de conflito com a lei.

A missionária Cristina Sant’Anna, que esteve em período de licença maternidade, já retornou às atividades e conta, abaixo, como foi o período de preparação para sua volta ao campo.

“É com grande alegria e expectativa que volto a escrever para os irmãos. Após o período de licença maternidade, estou de volta às atividades do campo missionário. O mês de julho foi um mês de home office, acompanhando os trabalhos da capelania socioeducativa mais de perto, fazendo contatos com candidatos ao voluntariado para as capelanias e alinhando o planejamento para dar continuidade com as voluntárias que seguraram as cordas na minha ausência. Planejamos também a abertura de uma nova frente de trabalho, desta vez na unidade de semiliberdade que atende meninas entre 12 e 18 anos, o Criaad de Nilópolis.”

Juan Gonçalves também traz novidades de seu campo missionário: o início das aulas de violão para cerca de 12 meninos do Educandário Santo Expedito. As aulas estão sendo ministradas por dois voluntários. Somos gratos a Deus por essas vidas que se disponibilizaram para atender ao chamado de Cristo.

“Tem sido dias maravilhosos. Nas últimas semanas um adolescente, depois de ouvir e ser fortemente impactado pela Palavra de Deus, nos chamou para uma conversa em particular. Seu pedido foi que estivéssemos orando por ele, por conta das dificuldades vividas e pela tentativa de abandono dos seus erros. Segundo relato do mesmo, por várias vezes ele tem lutado contra sua vontade pecaminosa e que seus companheiros de alojamento o têm desencorajado. Precisamos continuar orando pelos adolescentes que têm lutado para abandonar o pecado”.

Se você pode ajudar, viabilizando financeiramente a continuidade destes projetos, acesse o Canal do PAM e faça uma parceria.

Se você pode nos ajudar em oração, confira a lista de pedidos abaixo:

– Para que Deus dê força aos meninos e meninas que desejam transformação, mas que estão sendo desencorajados pelos companheiros;

– Pela saúde dos missionários e seus familiares;

– Por voluntários e igrejas desejosos de apoiar o ministério de capelania socioeducativa. Precisamos de investimentos financeiros para o sustento de obreiros e pessoas para o alcance de mais vidas para Cristo.

Share This